Águas que curam

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone
As águas de São Lourenço, em Minas Gerais, são procuradas por milhares de turistas que buscam uma vida saudável.
Pilares de São Lourenço Processo de desobstrução e energização através  de três processos em granito: 1 – Captar a energia do cosmo e direcioná-la para o interior da terra (Parque II) 2 – Captar a energia do interior da terra e direcioná-la para o cosmo (Fonte Oriente) 3 – Canalizar as duas energias para manter o equilíbrio da região (Monjolo) (Imagem: M.Scotti).
Pilares de São Lourenço
Processo de desobstrução e energização através de três processos em granito:
1 – Captar a energia do cosmo e direcioná-la para o interior da terra (Parque II)
2 – Captar a energia do interior da terra e direcioná-la para o cosmo (Fonte Oriente)
3 – Canalizar as duas energias para manter o equilíbrio da região (Monjolo)
(Imagem: M.Scotti).

 

Por Marcos Scotti – Há lugares no Brasil onde vida saudável é sinônimo de gente feliz. São Lourenço, a 393 quilômetros de Belo Horizonte, em Minas Gerais, é um destes lugares.

É difícil resumir o que é esta cidade mineira que faz parte do Circuito das Águas, mas, ao abrir a varanda de uma pousada no alto da colina ou a janela de casa no entardecer e ver uma paisagem de montes, montanhas, matas ainda preservadas e uma cidade esparramada entre o que sobrou da mata atlântica mineira, se começa a entender um pouco mais do que é viver com paz e tranquilidade, do jeito mineiro de ser.

Sossegado, quieto, hospitaleiro, de bem com a vida e com a natureza. É contagiante. Em pouco tempo você acaba se sentindo mineiro também.

Quem vai a São Lourenço encontra uma cidade que cresceu em torno de fontes hidrominerais, que deram sustentabilidade econômica ao município e o fizeram destino do turismo saudável.

A cidade das águas é particularmente procurada pela terceira idade, às centenas, em função das propriedades terapêuticas das fontes que brotam na região. E não são poucas. O Parque das Águas – cartão de visitas da cidade -, projetado, construído e administrado por uma empresa do ramo alimentício, por força de um compromisso assumido entre a empresa e a população e administração pública, quando a companhia comprou a marca de água envasada “São Lourenço” e se instalou na cidade, recebe diariamente centenas de pessoas em busca de saúde.

Águas sulfurosas, alcalinas, ferruginosas, cada qual indicada para um determinado fim (veja lista das indicações), além dos banhos e massagens terapêuticos que, ali mesmo no parque podem ser desfrutados, fazem de São Lourenço um paraíso.

Principal pólo comercial do circuito (são dez as cidades mineiras que fazem parte do Circuito das Águas, onde está a maior concentração de águas minerais do Planeta), São Lourenço tem o segundo maior parque hoteleiro do estado.

Do jeito mineiro
sao-lourenco-2a
Os saguis andam soltos no Parque das Águas, em São Lourenço. (Imagem: M.Scotti).

Mas a cidade não tem só água e excelentes pousadas e hotéis para se hospedar. A incomparável comida mineira, passeios a cavalo nas fazendas, a boa prosa, trilhas ecológicas e até vôo de balão, fazem dessa cidade um lugar para se voltar sempre.

No trem, puxado por uma locomotiva de 1928, um passeio que leva o visitante a uma viagem que serpenteia entre a Mata Atlântica e o Rio Verde, o principal curso d’água da região.

São Lourenço, entre os montes de Minas. (Imagem: M.Scotti)
São Lourenço, entre os montes de Minas. (Imagem: M.Scotti)

É bem verdade que turista aqui, quando próximo aos pontos mais visitados da cidade, esbarra com um prestativo “charreteiro”, o que, aliás, é um dos charmes de São Lourenço. É de lei: passear de charrete pela cidade é como relembrar os tempos passados. De charrete se é conduzido aos principais pontos turísticos da cidade – a antiga estação de trem, o teleférico, a cidade dos doces, onde foram gravadas locações da novela “Chocolate com Pimenta” e as principais ruas, ainda calçadas com nostálgicos paralelepípedos.

Para que finalidade é usada a água
  • Águas Carbonatadas: Indicadas na dispepsia, gastrites, úlceras gastroduodenais, hepatites, diabetes e moléstias da nutrição.
  • Águas Cabogasosas: Apropriadas no combate a moléstias dos rins, do fígado, cálculo renal e vesicular além de serem diuréticas.
  • Águas Bicarbonatadas Mistas: Podem tratar moléstias gastrointestinais,
    hepatite, dispepsia e mólestias renais.
  • Águas Iodadas: Indicadas nas arteriosclerose, reumatismo, insuficiência tireoidiana, bócio e mólestias do fígado e do rins.
  • Águas Sulfurosas: Apropriadas para as moléstias alérgicas, eczemas, artrites e reumatismo
  • Águas Ferruginosas: Podem tratar anemias ferroprivas e estimular o metabolismo.
  • Águas Cloretadas: Indicadas nas moléstias gastrointestinais, gastrites, pancreatites, hepatites e moléstias renais.
  • Águas Bicarbonatadas Cloretadas: Apropriada para tratar moléstias gastrointestinais, gastrites, pancreatites, hepatites e moléstias renais.
  • Àguas Bicarbonatadas Cloro-sulfatadas: Podem tratar moléstias do aparelho digestivo, de nutrição, artritismo e eczemas por conterem bicarbonato, cloretos e sulfatos alcalinos.
  • Águas Sufurosas Bicarbonatadas: Indicadas para moléstias de pele, nas afecções reumáticas de fundo alérgico e atua como estimulante das funções gastrointestinais.
  • Águas Sulfurosas-bicarbonatadas e Sulfatadas: Indicadas no combate ao artritismo, gastrite e moléstias de pele, por serem bastante alcalinas.
  • Águas Sulfurosas-bicarbonatadas e Cloro-sulfatadas: Podem tratar pacientes com reumatismo crônico, dispepsias, afecções hepáticas e atuar como estimulante do metabolismo.
  • Águas Ferruginosas-bicarbonatadas: Indicadas no tratamento de anemias ferroprivas.
Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

NO COMMENTS

Leave a Reply