0 853
Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

Ação acontece em comemoração aos 30 anos do Laboratório de Micropropagação Vegetal

araucária em extinção
Espécie está próxima da extinção. Ação tenta reverter este quadro.

2.500 mudas de Araucaria angustifolia foram distribuídas gratuitamente pelo Laboratório de Micropropagação Vegetal da Universidade Federal do Paraná, em março deste ano. Foi no laboratório que a espécie começou a ser estuda, há 30 anos.

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

0 856
Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

Escola municipal em Toledo, no Paraná, pratica educação ambiental para alem dos muros da instituição

 

escolaanitaO projeto “Eu cuido, tu cuidas e nos vivemos”, uma iniciativa da Escola Municipal Anita Garibaldi, na cidade de Toledo, no Paraná, foi criado para ser desenvolvido fora dos muros da escola, mas com o envolvimento da comunidade escolar.

Segundo o corpo docente da Anita Garibaldi, a educação ambiental está diretamente ligada à  forma de vida do cidadão como um todo: desde o que comemos, como moramos, o que vestimos até o que consumimos. “De alguma forma, precisamos agir para evitar os desastres ambientais. O meio ambiente está nos pedindo ajuda”, diz uma matéria distribuída pela direção da escola. “Diariamente nos perguntamos o que fazer para ajudar e incorporar a conscientização e o saber científico em nosso aluno para a questão ambiental”, completa a nota.

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

0 551
Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

Projeto quer mostrar que é possível substituir combustíveis fósseis na geração de energia

 

solargreenpeaceApenas em 2014, foram queimados R$ 20 bilhões em combustíveis fósseis para gerar energia, aumentando o efeito estufa que o planeta já sofre. Se as emissões dispararam, disparou também o preço da eletricidade: em 2014, a conta de luz subiu, em média, 30% em todo o país (chegando a 54% em estados como Roraima). Em 2015, os aumentos prometem.

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

0 645
Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

Parecemos estar num tempo em que argumentos não têm papel pedagógico

Por Cristovam Buarque – Chama-se “pedagogia da catástrofe” o conjunto de lições tiradas de tragédias geralmente anunciadas e desprezadas. A população de São Paulo está passando por um aprendizado desse tipo. Depois de anos desperdiçando água e sujando rios, investindo em asfalto e estádios, em vez de reservatórios, sem incluir nas escolas o respeito à água e demais preocupações ambientais, a população começou a conservar água.

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

0 1765
Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

Queimada_ABr_02

Em Janeiro de 2014, em todo o Brasil foram 2.634 focos de queimadas. No mesmo mês, em 2015, foram 4.637 focos. Em fevereiro deste ano, foram registrados 2.511 focos, contra 1.548 em 2014. Os satélites do Inpe conseguem diagnosticar todos os focos de incêndio que tenham pelo menos 30 metros de extensão por 1 metro de largura.  Quase todas as queimadas hoje são causadas pelo homem, seja de forma proposital ou acidental. As razões variam desde limpeza de pastos, preparo de plantios, desmatamentos e colheita manual de cana-de-açúcar até balões de São João, disputas por terras e protestos sociais. Segundo o Inpe, as queimadas destroem a fauna e a flora nativas, causam empobrecimento do solo e reduzem a penetração de água no subsolo, além de gerar poluição atmosférica com prejuízos à saúde de milhões de pessoas e à aviação.

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

    0 494
    Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

    raios

    “Sessenta por cento dos que atingem a Região Sudeste, em alguns dias do verão, têm carga positiva”. A declaração é de Iara Cardoso de Almeida Pinto, geofísica espacial, a respeito de uma pesquisa sobre os raios que infestam os céus do Brasil.  A surpresa é que 90% dos raios que caem no mundo têm carga negativa”. Um detalhe: raios positivos são, geralmente, mais destrutivos. (Fonte:  Revista Super Interessante)

    Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone