Empresa de energia constrói casa autossustentável no Rio

0 706
Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone
Projeto quer saber quais serão as mudanças de ritmos e hábitos no consumo do cidadão
Maquete da "casa do futuro". (Imagem: divulgação)
Maquete da “casa do futuro”. (Imagem: divulgação)

A Enel Brasil, filial da gigante energética italiana de mesmo nome, está construindo em Niterói, no Rio de Janeiro, uma casa autossustentável com o objetivo de colher informações sobre como as pessoas imaginam a vida doméstica no futuro.

A casa faz parte do projeto Nós Vivemos o Amanhã – NOVA, e foi a primeira a receber um dos mais importantes certificados ambientais na América do Sul, o Living Building Challenge.

O projeto deve ficar pronto para as Olimpíadas e terá chão cinético, capaz de transformar os passos em luz. Será autossuficiente em energia elétrica e no abastecimento de água, com uso de chuva recolhida e filtrada. Os ambientes serão climatizados naturalmente, sem ar condicionado. Construída com pré-moldados, não terá nenhum material químico.

“Se trata de uma experiência inédita, tecnológica, sim, mas, principalmente, sociológica, no campo do comportamento e dos desejos. Algumas soluções, como a fonte de energia solar, forneceremos nós mesmos, outras iremos buscar nas start-ups envolvidas”, disse à BBC Brasil o presidente da Enel Brasil, Marcelo Liévenes, durante a apresentação do projeto em Milão, em 2015.

A construção integra o programa de Pesquisa e Desenvolvimento da Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel.

“Usaremos antigas técnicas de arquitetura no Brasil com mais de 500 anos, como o cruzamento da ventilação, a fonte geotérmica, pois escavando 20 m no solo conseguimos climatizar os ambientes naturalmente, substituindo o ar condicionado. Temos ainda o ensinamento do modernismo, com a paisagem entrando na residência”, disse o arquiteto responsável pelo projeto, Arthur Casas.

A construção terá 375 metros quadrados. As águas cinzas serão recicladas, assim como os dejetos e o lixo orgânico, que serão transformados em gás metano. Vidraças inteligentes dispensarão limpeza e irão alterar transparência em função da luminosidade externa.

O pavimento da casa será de concreto modulado, que pode ser facilmente retirado e substituído. As tubulações e fiações passarão por baixo dele. Já a quadra de esportes terá piso cinético, que produzirá energia para iluminar o campo.

Cobaias

Um concurso pela internet vai escolher a família que irá ocupá-la e os moradores serão, de certa forma, cobaias das novas tecnologias: os pesquisadores querem saber quais serão as mudanças de ritmos e hábitos no consumo, e em quanto tempo irão ocorrer.

“Queremos saber como as pessoas irão morar ali, como irão se adaptar às novidades. Isso é o que importa porque o futuro tecnológico é já obsoleto”, disse Liévenes.

(Fonte: UOL/BBC Brasil)

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

NO COMMENTS

Leave a Reply