Enquanto eles discutem, a temperatura sobe

0 706
Enquanto as mudanças no clima acontecem e seus efeitos são sentidos, governantes do mundo todo ainda teorizam sobre o que fazer

sustenta

Por Marcos Scotti – A Cúpula do Clima, realizada no final de setembro em Nova York, que serve de reunião preparatória para a Conferência Climática de Paris, a COP 21, mostrou a disposição dos países em buscar soluções para atingir os objetivos de zerar a emissão de carbono no Planeta. 

Nas propostas apresentadas, por exemplo, os países se comprometem a eliminar definitivamente o desmatamento até 2030.

O Brasil, por exemplo, pretende diminuir 37% das emissões até 2025, chegando a 43% de redução em 2030, incrementar o uso de energias limpas, reflorestar 12 milhões de hectares e acabar com o desmatamento ilegal até 2030.

Conglomerados empresariais também se comprometem a rever seus processos de produção para eliminar a emissão de gases e a utilizar energia renovável.

Na teoria, no falatório, nota-se a preocupação de todos com as mudanças climáticas e o aquecimento global. Líderes mundiais e religiosos engajaram de vez em seus discursos a preocupação ambiental.

A realidade histórica, no entanto, mostra que outros compromissos já foram firmados em reuniões mundiais, e muito pouco se fez. As florestas continuam sendo derrubadas e queimadas, as emissões continuam acontecendo e o desenvolvimento econômico a qualquer preço continua se sobrepondo à sustentabilidade.

As temperaturas continuam subindo. Um relatório divulgado pela Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos – NOAA, em inglês – constatou que o mês de julho deste ano foi o mais quente já registrado no mundo: temperatura média de 16,61°C nas superfícies dos continentes e dos oceanos, 0,81°C a mais do que a média de temperatura do século XX. O ano passado já havia sido apontado como o ano mais quente da história moderna. Além disso, os 10 anos mais quentes registrados, com exceção de 1998, ocorreram a partir de 2000.

O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas – IPCC, na sigla em inglês, alertou que a temperatura do planeta subirá quase 5 graus Celsius até 2100. Há pouco tempo a Nasa – agência espacial norte-americana – divulgou imagens dos oceanos que datam de 1992 até os dias atuais, onde mostra a elevação do nível dos oceanos em 8 centímetros. Só a Groenlândia perde por ano cerca de 303 bilhões de toneladas de gelo.

Esqueceram de perguntar ao Planeta quanto tempo mais ele aguenta tanta reunião e tão pouca ação.

NO COMMENTS

Leave a Reply