O caminho para a qualidade de vida começa em casa

0 234
Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone
Moradores de um bairro na cidade de Freiburg, na Alemanha, repensaram o lugar onde moram em busca de qualidade de vida.

 

Vauban, uma comunidade sustentável. (Imagem: divulgação)
Vauban, uma comunidade sustentável. (Imagem: divulgação)

Imagine uma cidade onde os carros praticamente não circulam, o lixo é reduzido, reutilizado e reciclado, a água é racionalmente utilizada, a energia é limpa e a convivência entre as pessoas é interativa e enriquecedora. Uma cidade onde a distância entre ricos e pobres praticamente não existe e onde a qualidade de vida é o primeiro item de uma pauta comum a todos. Utopia?

É cada vez maior o número de comunidades que buscam essa realidade. Se cidades assim ainda estão engatinhando, pelo menos o conhecimento, o entendimento e a união de pessoas estão gerando resultados positivos em várias partes do mundo. O bairro de Vauban, na cidade de Freiburg, na Alemanha, é um desses exemplos e vem se tornando um modelo de cidade sustentável. O projeto começou em meados dos anos 90 em um terreno onde antes existia uma base militar francesa. Em 1993 iniciou-se o planejamento do bairro, e já nos anos de 1995 e 1996 foram feitos encontros comunitários para conscientização sobre o uso de energia. Em 1998 começaram as primeiras construções e em 2006 o projeto de Vauban estava concluído e funcionando.

Planejada para até 5.000 habitantes, o bairro teve suas casas construídas para funcionar como micro usinas de geração de energia elétrica. Essa geração de energia não só supre às necessidades do local como gera créditos, ou seja, as casas geram mais energia do que consomem (cerca de 4 vezes) e toda essa energia excedente é repassada para rede pública.

Além da tecnologia em prol da sustentabilidade, todas as construções foram pensadas sobre os conceitos do bioclimatismo. No verão, com a posição aparente do sol em ângulo mais alto, as varandas servem para impedir a entrada direta de calor, já no inverno, com a insolação em um ângulo mais baixo, as grandes janelas permitem a passagem de iluminação natural sem comprometer o conforto ambiental interno. Essas janelas são compostas por camadas de vidro para isolar o calor dentro da edificação e muitos dos prédios ainda possuem coletores solares ou placas fotovoltaicas. Além disso, as coberturas possuem sistemas de captação de água da chuva, que é utilizada para irrigação de jardins e uso em vasos sanitários.

A reciclagem é outro aspecto exemplar de Vauban. Todos os resíduos gerados são totalmente separados em coletores espalhados pela cidade e cerca de 65% desses resíduos são reciclados.

Para evitar a circulação de automóveis nas ruas, foram criados estacionamentos para visitantes nas vias periféricas, fazendo da caminhada e da bicicleta as ferramentas de locomoção oficiais do local. Para facilitar ainda mais a mobilidade foram determinadas áreas de ciclovias que cortam praticamente todas as ruas do bairro, juntamente com os “trams”, aqueles bondes que andam sobre tapetes de grama.

A adoção desse conjunto de ações sustentáveis planejadas fez com que, em 2009, cerca de 70% das famílias escolhessem viver sem o uso de automóvel e de maneira muito mais harmônica com o ambiente.

(Fonte: Arquitetura Sustentável)

Compartilhe Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pageEmail this to someone

NO COMMENTS

Leave a Reply