cerrado

0 251
O WWF-Brasil apresentou o aplicativo “Futuro em suas mãos”, que já está disponível gratuitamente para os sistemas IOS e Android.

cerrado-pequizeiro-em-flor

O jogo é ambientado no Cerrado e ensina os usuários maneiras de produção sustentável no segundo maior bioma brasileiro e um dos mais ricos em biodiversidade, por meio de missões que incentivam a adquirir hábitos mais conscientes.

As ações do app são apresentadas por um lobo-guará, espécie símbolo do Cerrado, e mostram algumas previsões sobre o Cerrado, caso a população não cuide dele.

Segundo Cássio Bernardino, analista de conservação do WWF-Brasil, que falou no evento, “o Futuro em suas mãos leva o usuário a pensar nas suas decisões tanto no jogo quanto na vida real, que afetam não só o sucesso da área, mas o futuro do Cerrado e de milhões de vidas ligadas a ele”.

Mais de trinta representantes de organizações da sociedade civil, governo, instituições de pesquisa e academia presentes na reunião puderam baixar o aplicativo e tentar atingir o desafio de manter o equilíbrio, ou seja, garantir rentabilidade de uma área de 500 hectares, sem prejudicar o meio ambiente.

Rafael Poubel, superintendente do Centro de Excelência Cerratenses, elogiou a iniciativa dizendo que “com uma linguagem divertida e simples o game tenta dialogar com um público que está nos celulares e na internet gerando conhecimento sobre as características específicas dessa região e a melhor forma de viver em harmonia com a natureza”.

Além disso, os participantes ressaltaram que o jogo poderá contribuir para que a população tenha mais consciência ambiental ao fazer um paralelo da influência de nossas ações sobre o futuro do planeta.

Para saber mais sobre o jogo, acesse: http://futuroemsuasmaos.wwf.org.br

(Fonte: WWF Brasil).

0 298
A exploração da terra para produção de alimentos de forma não sustentável vai reduzir a biodiversidade, diz relatório do WWF. No Brasil, o bioma do cerrado é o que mais preocupa.

plantanocerrado

Desde o final da década de 1950, cerca da metade das savanas e das florestas naturais do Cerrado foi convertida em áreas agricultáveis para a agricultura e exploração pecuária. Como esses ecossistemas foram extintos, desapareceu a vida silvestre que eles sustentavam e os serviços ambientais essenciais por eles providos, como água limpa, sequestro de carbono e solos saudáveis.

0 468
Conservação, Utilização Sustentável e Repartição dos Benefícios da Biodiversidade. O Ministério  do Meio Ambiente atualizou a lista de áreas nos biomas Caatinga, Cerrado e Pantanal.
O cerrado, um dos biomas constantemente ameaçados. (Imagem: ICMBio).
O cerrado, um dos biomas constantemente ameaçados. (Imagem: ICMBio).

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) lançou a segunda atualização da lista de Áreas Prioritárias para a Conservação, Utilização Sustentável e Repartição dos Benefícios da Biodiversidade nos biomas Caatinga, Cerrado e Pantanal. A Portaria 223/2016, publicada no Diário Oficial da União de 21 de junho de 2016, revoga a portaria MMA nº 9 de 2007.

A lista classifica as áreas em três níveis: por prioridade de conservação, importância biológica e urgência de ação, além de recomendar ações prioritárias para cada uma e caracterizá-las quanto às ameaças e oportunidades.

De acordo com o MMA, as informações podem ser usadas para qualificar as ações de licenciamento ambiental, fiscalização e criação de unidade de conservação. Por exemplo, orientar processo de licenciamento de obras como estradas e linhas de transmissão de energia elétrica ou indicar ações de manejo florestal da Caatinga no pólo gesseiro (que produz gesso) de Araripe (PE).

As áreas e ações prioritárias para a biodiversidade são um instrumento norteador de políticas públicas, mas não são obrigatórias. Para sua implementação, o MMA buscará parcerias com os governos estaduais e outros setores da sociedade.

Fases

Os governos estaduais dos biomas, por meio de suas secretarias de Meio Ambiente, participaram de todas as fases do processo da segunda etapa de atualização. Além dessas informações, poderá ser compartilhado com os Estados e entidades interessadas um banco de dados com mais informações sobre as áreas prioritárias dos biomas, assim como dos alvos de conservação (espécies ameaçadas, endêmicas, ambientes relevantes, entre outros) e dos custos para a conservação (ameaças para a conservação dos alvos).

Metodologia

O trabalho consistiu em estabelecer alvos de conservação, que são espécies ameaçadas, espécies endêmicas e ambientes importantes como cavernas, por exemplo, e localizá-los e descrevê-los cientificamente. A partir daí, foram estabelecidas metas de porcentagens de conservação para cada alvo e recomendações de ações prioritárias de conservação.

Os estudos foram feitos por especialistas e os alvos, metas e custos foram definidos em oficinas de trabalho com a participação governos estaduais e da sociedade civil. A metodologia utilizada no processo foi o “planejamento sistemático da conservação”, que, entre outras coisas, define áreas a partir da importância biológica e dos custos para conservação.

Confira os dados do MMA no link http://www.mma.gov.br/biodiversidade/biodiversidade-brasileira/%C3%A1reas-priorit%C3%A1rias/item/10724

(Fonte: MMA)

0 420
O segundo rio mais rico em diversidade de peixes dentre os afluentes do São Francisco na região de Minas Gerais, sofre a ameaça das barragens que se pretende construir na região
Rio Carinhanha, no Parque Grande Sertão Vereda. (Imagem: Aldem Bourscheit/WWF)
Rio Carinhanha, no Parque Grande Sertão Vereda. (Imagem: Aldem Bourscheit/WWF)

O rio Carinhanha é um divisor natural dos estados de Minas Gerais e Bahia, intensamente citado na obra de Guimarães Rosa, “Grande Sertão: Veredas”. Apaixonado por essa região de beleza única no coração do Cerrado brasileiro, o escritor via o Sertão como importante fonte de água e entendia que conservá-lo era um meio de preservar um dos patrimônios brasileiros. E ele estava certo!

0 424
Podem participar as organizações representativas dos povos indígenas, comunidades quilombolas e comunidades tradicionais e ONGs. Edital tem inscrições até 25 de abril
Fundo do Clima vai financiar projetos que promovam preservação do cerrado e inclusão social. (Imagem: MMA)
Fundo do Clima vai financiar projetos que promovam preservação do cerrado e inclusão social. (Imagem: MMA)

Para evitar o desmatamento e a degradação do cerrado brasileiro e incluir os povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais que vivem na área de influência do bioma, o Programa de Investimento Florestal, que compõe o Fundo Estratégico do Clima (Strategic Climate Fund – SCF), iniciativa global em execução no Brasil e em outros sete países, abriu inscrições para projetos que promovam a proteção, conservação dos recursos naturais e  inclusão social.

0 1093
A exemplo do que vem sendo feito na floresta amazônica e no cerrado, o programa pretende coibir crimes ambientais
Cerrado, um dos biomas já monitorados. (Imagem: MMA)
Cerrado, um dos biomas já monitorados. (Imagem: MMA)

Para acompanhar o que acontece nos diversos biomas do Brasil, o Ministério do Meio Ambiente criou o Programa Nacional de Monitoramento Ambiental. A ideia é mapear e acompanhar o desmatamento, as queimadas e os diversos usos das terras brasileiras, além de monitorar a recuperação de vegetações e coibir crimes ambientais.

0 874
WWF-Brasil destaca os cinco mamíferos do bioma considerados emblemáticos e ameaçados de extinção
Lobo-guará, mamífero ameaçado de extinção. (Imagem: WWF-Brasil)
Lobo-guará, mamífero ameaçado de extinção. (Imagem: WWF-Brasil)

A extensão e localização geográfica diz muito sobre a importância do Cerrado, pois, além de conectar três países da América do Sul (Brasil, Bolívia e Paraguai), ele funciona como um elo entre quatro dos cinco biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Mata Atlântica, e Pantanal. Por isso, compartilha diversos animais e plantas com essas regiões. E também abriga exemplares únicos da natureza, a ponto de ser considerado a savana mais rica em biodiversidade do planeta. Muitas delas só existem nesta região, que ocupa um quarto do território brasileiro.

Imagine um lugar onde vivem mais de 11 mil espécies vegetais, e fauna é tão diversa quanto a flora. Estima-se que o Cerrado possua 837 espécies de aves, 120 de répteis, 150 de anfíbios, 1.200 de peixes, 90 mil insetos e 199 tipos de mamíferos. Juntando tudo, dá quase 5% de todas as espécies no mundo e 30% da biodiversidade do país.