educação ambiental na escola

A primeira coisa a se aprender sobre o figo é que ele não é fruto, mas uma flor. Isso mesmo. Assim como a alcachofra é uma flor e as alcaparras são botões de flores em conserva, o figo é na verdade uma flor invertida que se abre dentro de uma vagem em formato de pera, que, mais tarde, amadurece e se converte no fruto que comemos.

Rico em fibras, vitaminas e minerais, o figo possui um sabor adocicado e uma textura lisa e crocante, devido à presença de suas sementes.

O figo ajuda no controle do colesterol

Por ser rico em fibras, ácidos graxos e antioxidantes, as folhas do figo podem ser utilizadas para diminuir o nível de triglicerídeos. Com isso, reduzem os níveis de colesterol ruim (LDL) e aumentam os do bom (HDL), o que evita o acúmulo de gordura nas artérias, e consequentemente o seu possível entupimento, que pode gerar até infartos.

Figo previne doenças cardiovasculares

O figo tem altíssimo teor de potássio e baixo em sódio. Esse mineral exerce um efeito positivo no tônus vascular, contribuindo para a redução da pressão arterial e auxiliando a pressão cardíaca por conter os ácidos graxos essenciais, ômega 3 e 6, além de fenol. É bom lembrar que o excesso de sódio aumenta a pressão arterial, o que pode levar à hipertensão.

Figo ajuda a emagrecer

Rico em fibras, o figo também combate à constipação, pois ajuda a regular o intestino. Além disso, esse nutriente confere saciedade, e com isso evita a compulsão alimentar, e consequentemente colabora no processo de emagrecimento.

Bom para a pele

O figo também contém vitamina C e as do complexo B, que possuem fator antioxidante. Com isso, melhoram a aparência da pele, deixando-a mais saudável e longe das inflamações que causam a acne. Uma dica é fazer um esfoliante com o fruto, mel e açúcar.

Figo contribui no tratamento de diabetes

Estudos afirmam que o ácido clorogênico pode ajudar a controlar os níveis glicêmicos, o que torna este fruto uma boa opção para pessoas com diabetes mellitus tipo II.

Fonte de energia

Os figos secos, além de conterem variados antioxidantes, vitaminas e minerais, são ainda uma excelente fonte de energia concentrada. Ao contrário dos figos frescos, onde 100g contêm cerca de 74 calorias, no caso dos secos, 100g possuem quase 250 calorias. Com isso, eles mais uma vez dão saciedade e diminuem a fome.  (Com informações do VivaMelhor)

0 1094
Manual prático de sinalização de trilhas é lançado durante o Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação
Sinalizar a trilha é dar mais segurança ao turista. (Imagem: Terral Expediçoes)
Sinalizar a trilha é dar mais segurança ao turista. (Imagem: Terral Expediçoes)

Dotar as trilhas das unidades de conservação de sinalização que facilitem a vida do turista. Esse e o objetivo do manual prático de sinalização de trilhas, lançado pelo WWF Brasil em parceria com a Associação O Eco e o site Wikiparques.

 Além de promover o uso público e evitar que os usuários se percam ou coloquem suas vidas em risco por falta de informação, as placas ajudam na educação ambiental.

0 886
O Instituto Nacional de Educação Ambiental está inovando.
A primeira Araucária do "Nosso Floresta", árvore símbolo do Ineam.
A primeira Araucária do “Nosso Floresta”, árvore símbolo do Ineam.

O mais novo projeto do Ineam é plantar uma floresta virtual com a colaboração de todos os cidadãos que plantam uma semente para o futuro.

O projeto Nossa Floresta é um espaço livre para o cidadão mostrar sua contribuição ao meio ambiente. Fotografe ou filme a muda de árvore que você plantou e envie para o e-mail contato@ineam.com.br com as seguintes informações: espécie da árvore, data do plantio, local onde está plantada e seu nome.

De tempos em tempos atualize a sua foto para todos acompanharem o desenvolvimento da planta. Para visualizar a floresta, acesse o link http://ineam.com.br/projetos/.

Participe. Ajude o Ineam a plantar uma floresta.

0 1414
O processo de educação ambiental na escola deve ser pensado como forma de formar cidadãos conscientes e pró-ativos
É preciso educar para a sustentabilidade.
É preciso educar para a sustentabilidade.

Educar ambientalmente não se resume a criar um clube de ciências, implantar uma horta na escola ou espalhar lixeiras para separar o lixo.

Não existe receita pronta para se implantar um projeto pedagógico na escola onde o meio ambiente e a sustentabilidade estejam incluídos. Acima de tudo, é preciso pensar a formação dos estudantes, desde sua inclusão no meio acadêmico como uma forma de formar cidadãos conscientes, críticos, pró-ativos, capazes de assumirem responsabilidades éticas e socioambientais.

0 1228
Não basta apenas distribuir livros com temas ambientais ou fixar lixeiras coloridas na escola.

escolasustentável

Uma escola sustentável é, acima de tudo, uma escola que permite aos alunos construírem atitudes voltadas à preservação dos recursos naturais. Segundo os pedagogos, não basta apenas distribuir livros com temas ambientais ou fixar lixeiras coloridas na escola.

Também não adianta implantar projetos de combate ao desperdício de água ou de reciclagem na escola e deixar mangueiras e torneiras vazando ou não dar destino correto ao lixo separado.