Educação Ambiental

0 542
As atividades humanas estão degradando a maior fonte de vida do planeta.

 

Os oceanos são responsáveis por regular o clima, gerar oxigênio, energia e minerais. Os ecossistemas encontrados nos oceanos são únicos e ainda muito pouco conhecidos. A vida que cresce nos mares é fonte de alimentos e fornece princípios ativos e espécies que contribuem na descoberta de medicamentos.

0 741

Ar sujo é transformado em hidrogênio através de catalisadores que pode ser armazenado e utilizado como combustível limpo para gerar energia.

Protótipo da célula a combustível. (Imagem: divulgação)Uma célula a combustível com um conceito revolucionário: enquanto retira a poluição do ar o equipamento produz hidrogênio, um combustível limpo, utilizando-se da energia do sol. Dois objetivos perseguidos no caminho da qualidade de vida – purificar o ar e gerar energia limpa.

A lista de problemas apontados pelos profissionais é extensa: falta de manuais, listagens, sites e sessões técnicas no ambiente de trabalho, entre outros.

Por Ricardo Russo – Na construção civil brasileira, a madeira tem perdido espaço para diversos outros materiais – alguns até com aspecto “amadeirado”. Parte dessa ausência nos projetos desenvolvidos pelos escritórios de arquitetura está na pouca, ou total, falta de informação disponível para o mercado, conforme aponta a pesquisa “Especificação de Madeira nos Escritórios de Arquitetura”, publicada em 2015 pelo WWF-Brasil e pela Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Asbea).  

A ferramenta permite que os colaboradores sejam avaliados, formando um ranking dos melhores proprietários de áreas, prestadores de serviços e patrocinadores.

Plantadores de Rios, um projeto do Ministério do Meio Ambiente, quer proteger e recuperar nascentes e áreas de preservação permanente (APP) de cursos d’água e assim contribuir com o enfrentamento a crise hí­drica que assola diversas regiões do Paí­s.

A ideia é envolver a sociedade em ações de recuperação de rios e nascentes.

0 727

O Planeta chega ao Dia Mundial do Meio Ambiente em momento crí­tico. É preciso agir e agir agora, para minimizar os impactos da sociedade de hoje sobre as futuras gerações.

Num momento em que a Natureza se apresenta especialmente inquieta, com manifestações causadas ou não pelo Homem – mas que cobram um preço alto em vidas -, tais como furacões furiosos, enchentes devastadoras, deslizamentos letais, invernos glaciais, chegamos ao Dia Mundial do Meio Ambiente chamando não somente à  reflexão, mas, principalmente, à  ação de todos em defesa da vida.

1 887
Com entrada gratuita em todas as exibições, o festival celebra a Semana Nacional do Meio Ambiente e o Dia Mundial do Meio Ambiente.

Principal evento audiovisual sul-americano dedicado a temas socioambientais, a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental chega à sexta edição, que começa na próxima quinta-feira (1º) e vai até 14 de junho em São Paulo. Com entrada gratuita em todas as exibições, o festival celebra a Semana Nacional do Meio Ambiente e o Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, criado Organização das Nações Unidas com o intuito de chamar a atenção para os problemas ambientais e para a importância da preservação dos recursos naturais.

0 457
Gestão de organizações associativas, negócios sustentáveis, programas de crédito e políticas públicas são algumas das abordagens do edital.
(imagem: ICMBio)

Organizações sociais e atividades produtivas, ou econômicas sustentáveis, de comunidades beneficiárias das reservas extrativistas – Resex – federais nos estados do Maranhão, Piauí e Tocantins podem participar do edital do Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade – ICMBio para o curso de capacitação em reservas extrativistas.

0 612
As inscrições podem ser feitas até dia 1º de junho. Curso começa em setembro.

 

A Torre, na Estação Científica de Uatumã. (Imagem: Minc)

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – Inpa está com inscrições abertas para o processo de seleção do curso de Mestrado Profissional em Gestão de Áreas Protegidas da Amazônia. Serão oferecidas 15 vagas, das quais cinco são destinadas a candidatos de outros países que compõem a Bacia Amazônica.

Ideia é envolver os moradores na produção de hortaliças e ocupar o espaço ocioso na cidade.

 

Mudar o comportamento do cidadão que vive na cidade, promover o respeito ao meio ambiente e ocupar os terrenos ociosos como área de terapia ocupacional para a terceira idade e promover a integração entre os moradores de uma mesma comunidade. Esses os objetivos do programa de Hortas Comunitárias e Compostagem criado pela Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul.

“É uma forma de promover inclusão social produtiva de cidadãos e grupos sociais, mediante apoio e iniciativas que visem à cooperação na produção agroecológica de alimentos de forma solidária e voluntária, para o autoconsumo”, explicou o criador da proposta, Alex Knak.