gestão ambiental

0 8
As informações servirão como base científica para auxiliar na tentativa de se criar um parque municipal na região, para preservar o ecossistema e biodiversidade locais.

 

Levantamento será usado para subsidiar proposta de criação de parque municipal na região de Penha. (Imagem: ICMBio)

Pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação das Tartarugas Marinhas (Tamar) estão realizando levantamento populacional de tartarugas-verdes (Chelonia mydas) na praia do Cascalho, na cidade de Penha, em Santa Catarina.

0 34
A lista de problemas apontados pelos profissionais é extensa: falta de manuais, listagens, sites e sessões técnicas no ambiente de trabalho, entre outros.

Por Ricardo Russo – Na construção civil brasileira, a madeira tem perdido espaço para diversos outros materiais – alguns até com aspecto “amadeirado”. Parte dessa ausência nos projetos desenvolvidos pelos escritórios de arquitetura está na pouca, ou total, falta de informação disponível para o mercado, conforme aponta a pesquisa “Especificação de Madeira nos Escritórios de Arquitetura”, publicada em 2015 pelo WWF-Brasil e pela Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Asbea).  

Os números se baseiam em informações repassadas pelas indústrias e compiladas em relatório do IAP.

 Pouco mais de 90% dos resíduos gerados pelas indústrias instaladas no Paraná são reutilizados, reciclados ou recuperados. A informação é do Relatório da situação de inventário de resíduos sólidos industriais no estado do Paraná entre 2014 e 2015 realizado pelo Instituto Ambiental do Paraná.

0 30
Estudos desenvolvidos por cientistas na América do Norte e na Europa mostram que abelhas expostas ao agrotóxico neonicotinóides tem população reduzida.

As abelhas estão desaparecendo na América do Norte e na Europa em função do uso de agrotóxicos neonicotinóides, alertam estudos publicado na revista Science.

0 93
A ferramenta permite que os colaboradores sejam avaliados, formando um ranking dos melhores proprietários de áreas, prestadores de serviços e patrocinadores.

Plantadores de Rios, um projeto do Ministério do Meio Ambiente, quer proteger e recuperar nascentes e áreas de preservação permanente (APP) de cursos d’água e assim contribuir com o enfrentamento a crise hí­drica que assola diversas regiões do Paí­s.

A ideia é envolver a sociedade em ações de recuperação de rios e nascentes.

0 87
Projetos socioambientais de universidades podem participar de programa na Floresta da Tijuca, morro do Corcovado, no Rio de Janeiro.

 

Floresta da Tijuca, Rio de Janeiro. (Imagem: Agência Brasil).

Instituições de pesquisa universitária podem apresentar, até o próximo dia 23 de junho de 2017, propostas para a elaboração de um diagnóstico socioambiental de quatro comunidades vizinhas do Corcovado, no Parque Nacional da Tijuca, Rio de Janeiro.

0 102
Gestão de organizações associativas, negócios sustentáveis, programas de crédito e políticas públicas são algumas das abordagens do edital.
(imagem: ICMBio)

Organizações sociais e atividades produtivas, ou econômicas sustentáveis, de comunidades beneficiárias das reservas extrativistas – Resex – federais nos estados do Maranhão, Piauí e Tocantins podem participar do edital do Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade – ICMBio para o curso de capacitação em reservas extrativistas.

0 127
As inscrições podem ser feitas até dia 1º de junho. Curso começa em setembro.

 

A Torre, na Estação Científica de Uatumã. (Imagem: Minc)

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – Inpa está com inscrições abertas para o processo de seleção do curso de Mestrado Profissional em Gestão de Áreas Protegidas da Amazônia. Serão oferecidas 15 vagas, das quais cinco são destinadas a candidatos de outros países que compõem a Bacia Amazônica.

0 120
Consulta pública no litoral do Paraná vai decidir pela mudança de categoria e ampliação do parque estadual.

 

Visando dar mais transparência e garantir a participação da população nas decisões de melhoria ambiental, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) – em conjunto com a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMA) e com apoio da Prefeitura de Paranaguá – promovem no próximo dia 23, uma Consulta Pública para ampliação e mudança da Categoria de uso da Florestal Estadual do Palmito.
(Foto: Divulgação IAP).

Criada em junho de 1998 com o objetivo de diminuir a exploração ilegal e predatória de palmito nativo, garantir a sustentabilidade local dessa espécie e proporcionar uma opção de lazer à população, a Floresta Estadual do Palmito, no litoral paranaense, pode se tornar uma área de proteção integral e ganhar mais 1.2oo hectares de área. Para que isso aconteça, o Instituto Ambiental do Paraná vai promover, no próximo dia 23 de maio, uma consulta pública junto à população, em Paranaguá.

Para embasar as informações e apresentações que serão feitas, o IAP publicou em seu site, os estudos técnicos referentes a fauna e flora local, os limites da ampliação, justificativas técnicas, entre outros.

Acesse http://www.iap.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=1503