história

O seu negócio é sustentável?

coloque_seu_negocio_no_mapa

Sua empresa se preocupa com o meio ambiente ou usa recursos da natureza para gerar negócios, emprego e renda?

Se você é um empresário em dia com as preocupações socioambientais do planeta, NÓS VAMOS COLOCAR O SEU NEGÓCIO NO MAPA.

Em edições virtual e impressa, o INEAM, em parceria com a Trilha na Mata – Cadernos de Sustentabilidade, vai publicar, em duas línguas (português e inglês ou português e espanhol), roteiros e atrações que interessam ao seu negócio, serviços e produtos, dando ênfase ao respeito pelo meio ambiente e à construção do conhecimento socioambiental, cultural e histórico.

A ideia é contribuir para impulsionar o turismo sustentável e valorizar a marca do seu negócio.

Mensagem para quem interessa

Destinado aos apaixonados pela aventura, pela natureza, pela história e pelo conhecimento, a edição virtual será publicada no portal ineam.com.br e divulgada nas redes sociais do Instituto e ao mailing do portal de educação ambiental.

Na edição impressa, os roteiros e mapas serão publicados na forma de caderno, possibilitando o transporte e manuseio de maneira fácil e simples.

Caderno impresso e mapa virtual interessam à:
  • Agências e operadoras de turismo na natureza, de aventura e histórico.
  • Empresas que tenham produtos e serviços relacionados com o universo socioambiental.
  • Aos turistas que andam ansiosos por informação e roteiros no meio ambiente.
  • Aos “loucos” por natureza.
Distribuição

A distribuição do “Cadernos de Sustentabilidade” será feita em aeroportos, salas de espera de rodoviárias, pontos de informação turística, agências especializadas e veículos de informação de massa. A distribuição será gratuita.

SAIBA COMO COLOCAR O SEU NEGÓCIO NO MAPA.

Solicite informações ou uma visita do Instituto Nacional de Educação Ambiental, pelo e-mail ineam@ineam.com.br ou pelo telefone (41) 3334-3778.

Ajude o INEAM a praticar Educação Ambiental colocando O SEU NEGÓCIO NO MAPA.

0 1370
Pecados históricos mudaram a paisagem da centenária cidade. Hoje, cidadãos buscam na sustentabilidade o seu desenvolvimento
Rios de águas limpas ainda correm na floresta preservada.
Rios de águas limpas ainda correm na floresta preservada.

Por Marcos Scotti – Paredes levantadas com óleo de baleia, conchas, areia, cal e pedras. Casas coloridas. Pequenas vielas, construções de séculos passados erguidas por escravos, que testemunham a história e revelam um passado de lutas e glórias e de homens e natureza.

Estamos em Iguape, litoral sul de São Paulo, onde as águas do Ribeira encontram o mar; lugar dos tempos do imperador, por onde muito das riquezas brasileiras deixaram o País. Além da história, a cidade ainda tem para mostrar sua natureza preservada, trilhas históricas e lugares paradisíacos. Um potencial para gerar desenvolvimento.

Quem anda pela praça central de Iguape, diante da imponente basílica do Senhor Bom Jesus de Iguape, construída entre os séculos XVIII e XIX, não imagina estar pisando em solo sagrado. Naquele pedaço de chão, onde os índios enterraram seus mortos, é possível olhar em volta e encontrar nos detalhes as marcas do passado.

Em Iguape funcionou a primeira fundição de ouro do Brasil. O mineral, extraído a princípio das montanhas do Alto Ribeira, descia o grande rio, era transformado em barras e embarcado para Portugal. Hoje museu, a Casa de Fundição mostra documentos arqueológicos de 5 mil anos e peças do tempo da escravidão que sobreviveram ao tempo para atestar a história.

Voltar no tempo é inevitável. Constatar as transformações do poder do homem sobre a natureza e as inevitáveis conseqüências, não é difícil. O braço de mar que separa Iguape de Ilha Comprida é hoje tomado em grande parte por manguezais e pequenas ilhas que cresceram com as escavações da “grande vala”, uma transposição que encurtou o caminho do rio para o mar. Uma obra que começou com 4 metros de largura e hoje já chega a mais de 20 metros, resultado do assoreamento e da força das águas.

Quem mora em Iguape sabe hoje dos pecados ancestrais. Sabe também da necessidade de olhar o horizonte. Assim como os ciclos do ouro e do arroz que transformaram a pequena aldeia de pescadores de Icapara, onde nasceu Iguape, em cidade, cresce a mentalidade de que a sustentabilidade também está na exploração do potencial turístico e cultural da cidade.

Riqueza natural

Da “Pedra Saliente” à estação ecológica dos Chauás;  do  “Morro do Espia”  às  corredeiras e cachoeiras do rio Despraiado; da trilha do Imperador ao Centro Histórico. Iguape se descobre para ser redescoberta.

Além da aula de história na sede do município, a natureza preservada nas serras, nas estações ecológicas e nas reservas, esconde lugares paradisíacos onde bugios, macacos-prego, tucanos e até onças sobrevivem em seus habitats. Lugares como as cachoeiras do rio Despraiado, a 60 quilômetros do centro, nos limites oeste da estação ecológica, e o costão da Juréia, onde a estação encontra o mar e só é possível chegar com a maré baixa da lua minguante.